BANNER 728X90
Aviso!!!

Aviso!!!

Pessoal, desculpe estar tão ausente ultimamente, estou trabalhando com fotografia também, e isso me consumiu bastante tempo, mas prometo voltar o mais rápido possível, e também quero pedir a ajuda de vocês para divulgar o meu trabalho, por isso peço a vocês que curtam a minha página de fotografia no facebook



https://www.facebook.com/Douglas-Chaves-Fotografias-239690213223702
Marcos parte 1

Marcos parte 1

Olá venho apresentar o novo conto inventado por mim ele não será muito grande estará divido em 3 partes se gostarem poderei escrever um pouco mais mas para isso preciso da vossa ajuda. Então aqui vai

Olá chamo-me Marcus e tenho doze anos, ando na escola Pedro Bochechas. Um dia quando ia para a praça de táxis reparei que o táxi onde sempre ia não apareceu até que surge um carro com um condutor que nunca vi a dizer que vinha substituir o amigo colega, o Marcus entrou nem ligou até porque imprevistos acontecem, o condutor perguntou para onde ele queria ir e ele respondeu que queria ir para a escola Pedro Bochechas a cinco quarteirões de distância do local. Olha queres um sumo rapaz? Que eu saiba não se pode consumir bebidas? No meu carro podes? Sendo assim obrigado. Que sabor queres? Framboesa por favor. Pegou no sumo e começou a beber quando terminou de beber começou a sentir sono e ainda só tinha atravessado três quarteirões. De repente começa a entrar em sono profundo até que o motorista se desvia do trajeto e só para num hospital onde começaram uma recente experiência de colocar pessoas adultas novamente como bebés. Pegaram no moço marcaram-no com um ferro em brasa com o código EB-001 e injetaram-lhe um chip com localização gps. De seguida é levado para a cama onde é amarrado colocam-lhe uma fralda e por fim injeção uma anestesia geral mais forte, um laxante e um diurético. Dois dias e meio depois acorda e vê que está amarrado e o mais esquisito é que estava com fralda então começa a gritar até que lhe aparece o suposto condutor. O que queres rapaz? Onde é que eu estou? Devia de estar na escola? Aqui estás muito melhor o teu nome agora é EB-001 e fazes te agora de uma experiência nova em que te vais tornar bebé para sempre. Agora vou-te mudar a fralda que está toda suja e molhada. Pesava quase vinte quilos e estava sujo até ás costas. O médico voltou com uma fralda nova com pomada e umas toalhetes. Vá porta-te bem que vou-te mudar a fralda. Abriu a fitas da fralda puxou-a e pegou nos toalhetes para limpar o rabinho e a pilinha passou-lhe a pomada para as assaduras e fecha a fralda. Coloca-lhe um body daqueles que só dá para abrir atrás.
 Por hoje é tudo. Boa leitura bebés não se esqueçam de dar a vossa opinião e dicas para continuar a escrever.
CONTO DE MIGUEL PARTE 3

CONTO DE MIGUEL PARTE 3

ERA MINHA  PRIMA ALICIA,AOVER AQUELA CENA ELA ACHOU MUITO FOFOE DISSE QUE QUERIA AJUDAR TAMBEM ,AJUDOU TANTO QUE ACABOU SENDO UMA BEBE,PASSOU A TARDE TODA LA ,E DEPOIS FOI EMBORA LUIZA DEU BANHO EM MIGUEL ,TROCOU SUA FRALDA LHE DEU MAMADEIRA E COLOCOU UMACHUPETA PRA ELE DORMIR ,NO DIA SEGUINTE ELE SE ARRUMOU PARA IR A ESCOLA SUA MAE LHE COLOCOU UMA FRALDA NELE E IRIA ELE FOI ,PASSOU A MANHA NERVOSO E LUAN PERCEBEU AQUILO E  ELE IRIA FALAR COM ELE NO FINAL DA AULA ,MAS ENTROU PELA SALA UMA MENINA NOVA ,ERA DIFERENTE DAS OUTRAS,NO INTEVALO MIGUEL FOI FALAR COM ELA E ELA DISSE QUE TINHA UM SEGREDO,E ERA....








PAULO RENATO
INFANTILIST GLOBAL
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO
Conto de Alexander- Parte 52- Desespero Absoluto!

Conto de Alexander- Parte 52- Desespero Absoluto!

Conto de Alexander- Parte 52- Desespero Absoluto!


- Ontem a noite ambos foram atropelados enquanto voltavam do shopping para casa.


Meu coração quase parou ao ouvir o que ela disse, em desespero eu perguntei.


- Onde eles estão?


- No Hospital regional.


Sem pensar duas vezes eu comecei a correr rapidamente em direção ao hospital, não demorei mais que 30 minutos para chegar, quando entrei na recepção eu estava respirando pesado e minha cabeça doía, minhas pernas tremiam e minha visão estava embaçada, eu sentia que a qualquer minuto eu apagaria, mas não antes de ver meus amigos, eu andei lentamente até o balcão e perguntei quase sem fôlego.


- Onde estão Arnold e Mark?


A atendente olhou para mim e disse.


- Paul?


Eu reconheci a voz da mulher, era Jenn a minha vizinha, eu havia me esquecido que ela trabalhava lá, ao reconhecê-la eu perguntei.


- Jenn, onde estão meus amigos?


- Eles estão em seus quartos, mas não correm risco de vida, Mark quebrou a perna e Arnold teve algumas costelas quebradas, mas só isso, mas Paul, você está bem? Você está amarelo e suando muito, sinto que também está com a respiração pesada.


Com muita dificuldade eu disse.


- E.. eu... estou bem, apenas me deixe vê-los.


Ela me conduziu até o quarto onde ambos estavam e ao vê-los eu comecei a chorar de alívio e disse.


- Ainda bem que vocês estão bem.


Mark olhou para mim e disse.


- Paul, você demorou de vir, quase achei que tinha nos esquecido.


- Eu não sabia, fiquei sabendo a apenas 1 hora, então vim correndo para cá.


- Correndo!? Está brincando? Onde estava quando soube de nós?


- Perto de casa.


- Sua casa fica a 20 minutos de carro daqui, você correu todo o caminho?


- Sim.


- Você está bem?


- Sim, mas agora que vi vocês posso voltar para casa.


Antes que eu me virasse para sair do quarto minha visão se tornou escura e eu perdi a consciência, quando acordei percebi que estava deitado na cama do hospital nos mesmo quarto de Arnold e Mark, eu tentei me levantar, mas percebi que eu não tinha forças para isso, percebi também que haviam tubos saindo de meu nariz, então eu olhei para o lado e pude ver minha mãe sentada ao meu lado, ela estava adormecida e segurava minha mão, eu fiz um pouco de força e disse.


- Mamãe.


Ela abriu seus olhos, e ao me ver correu para fora do quarto e logo voltou com um homem de jaleco branco e ele me perguntou.


- Sente alguma dor meu jovem?


- Não, apenas não consigo me mexer e esta difícil falar.


- Entendo. Você teve sorte garoto, se não estivesse em um hospital quando você perdeu a consciência, com toda certeza você teria morrido. Faltou oxigênio em seu cérebro e você perdeu a consciência, por consequência disso, você não deve se mexer por alguns dias.


- Então foi isso.


- A enfermeira Jenn ficou surpresa ao perceber que você usava uma fralda quando ela removeu suas roupas.


Eu corei de vergonha, que situação, então eu perguntei.


- Quando poderei ir para casa?


- Se melhorar, em alguns dias. Não se preocupe a enfermeira Jenn cuidará muito bem de você nesse tempo, inclusive trocar suas fraldas.


Agora sim eu estava assustado, eu teria de suportar alguém que eu conhecia trocar minhas fraldas, e ainda mais a gata da Jenn.


Isso é tudo por hoje, espero que tenham gostado, ainda aguardo contato com vocês fãs, eu gostaria de conhecê-los e poder trocar ideias sobre a continuação desse conto. Em alguns casos eu posso estar até adiantando o Capítulo do dia seguinte adiantado para os amigos que mais forem úteis na criação dos próximos capítulos, por isso não deixem de entrar em contado conosco, continuamos esperando seu contato.
Douglas Chaves- (73)99822-2163- Whatsapp.



Bom Dia!!!!!
CONTO DE MIGUEL PARTE 2

CONTO DE MIGUEL PARTE 2

CONTO DE  MIGUEL PARTE 2

NO DIA SEGUINTE MIGUEL ACORDOU NOVAMENTE COM A CAMA MOLHADA
LUIZA VIU  AQUELA CENA E DISSE QUE IRIA COLOCAR FRALDAS NELE ,MIGUEL ESTUDAVA  A TARDE,MAS A PROFESSORA ESTAVA DOENTE ENTAO A AULA IRIA SER CANCELADA ,LUIZA DISSE QUE IRIA COMEÇAR POR HOJE,E FOI AO SHOPPING COMPRAR AS COISAS PARA MIGUEL,COMPROU FRALDAS,MAMADEIRAS,CHUPETAS E VARIAS COISAS,CHEGARAM EM CASA ELA  PEGOU ELE PELO BRAÇO LHE DEU UM BANHO E LEVOU ELE NO COLO SECOU ELE ,PASSOU TALCO,POMADA PARA ASSADURA E COLOCOU A FRALDA ,MGUEL SE OLHOU NO ESPELHO VIU QUE A FRALDA DAVA UM VOLUME MAIOR A SUA ROUPA,LUIZA FOI NA COZINHA LHE  PREPAROU UMA MAMADEIRA E DEU PRA ELE TOMAR, DE REPENTE A CAMPAINHA TOCA E ERA....






PAULO RENATO
INFANTILIST GLOBAL
ESPERO QUE TENHAM GOSTADO






CONTO DE MIGUEL PARTE 1

CONTO DE MIGUEL PARTE 1

MIGUEL ERA UM MENINO DE 13 ANOS
OLHOS AZUIS ,CABELO CASTANHO
E PELE BRANCA ELE MORAVA COM SUA MAE LUIZA E VOU CONTAR COMO TUDO COMEÇOU
ERA DOMINGO ,MIGUEL ACORDOU MEIO
TARDE E VIU SUA CAMA MOLHADA
COMEÇOU A CHORAR E SUA MAE FOI
CORRENDO LA NO QUARTO QUANDO VIU A CENA  DISSE  QUE SE ACONTECESSE ELA IRIA LHE COLOCAR FRALDAS
MIGUEL FOI BRINCAR COM SEUS
AMIGOS LUAN E DANIEL,BRICOU TANTO QUE CANSOU CHEGOU EM CASA ERA UMAS SEIS DA TARDE ELE TOMOU BANHO E FOI DORMIR POIS ESTAVA EXAUSTO,NO DIA SEGUINTE...



PAULO RENATO  
INFANTILIST GLOBAL
ESPERO QUE  TENHAM GOSTADO
Conto de Cristian- Parte 51- Onde Estão?

Conto de Cristian- Parte 51- Onde Estão?

Conto de Cristian- Parte 51- Onde Estão?

Quando acordei na manhã seguinte eu me deparei com uma cena muito bela, Am estava ainda dormindo e seu belo rosto parecia com o de um anjo, eu não poderia pedir por uma cena melhor ao acordar, eu suavemente deslizei minha mão sob seus cabelos e ela acabou acordando, ela olhou para mim e eu disse.


- Me desculpe, não queria te acordar.


- Não se preocupe com isso e pode continuar.


Disse ela segurando minha mão sob sua cabeça, eu alisei seus cabelos por mais algum tempo e logo era hora de nos levantarmos, eu estava curioso para saber se Am havia molhado sua fralda, mas fiquei com muita vergonha de perguntar, mesmo nessa situação eu tive de perguntar.


- Am, você molhou sua fralda?


Ela olhou para meus olhos e disse com um sorriso no rosto.


- Não.


- Ah, entendi.


- O que foi? Você parece decepcionado com isso.


- Não, é impressão sua.


- E você? Molhou sua fralda?


- Sim.


- Então você quer me ver molhar minha fralda?


- Sim!


- Nossa, que sim animado.


- Desculpe, eu apenas me empolguei.


- Então tudo bem,  vou abaixar um pouco da minha calça do pijama e fazer xixi na fralda.


- Entendi.


Logo ela abaixou a calça do pijama e se pôs em minha frente levantando a camisa, eu estava em pé em sua frente, então ela disse.


- Se abaixe, ou não vai conseguir ver.


Tudo que Am falava ou fazia, só me deixava ainda mais apaixonado por ela, eu me abaixei e depois de algum tempo eu pude ver a fralda começar a ficar amarela, era incrível, quando Am terminou ela perguntou.


- E então, ficou satisfeito?


- Sim, quer dizer... foi legal


- Podemos fazer isso mais vezes.


- Sim, mas tire logo essa fralda, não sei o que mamãe faria se visse você em uma fralda.


Am, então tirou a fralda e correu para o banheiro, lá ela enterrou a fralda na lata de lixo e foi tomar banho. Eu me levantei calmamente desci as escadas, ao ver minha mãe sentada na mesa da cozinha já tomando café, eu perguntei a minha mãe.


- Mamãe! Estou molhado, pode me trocar?



- Sim meu amor, espere apenas eu terminar de comer, não gostaria de se juntar a mim? Fiz um sanduiche de queijo e presunto para você.



- Sim mamãe, estou faminto.


Logo eu me sentei a mesa e comecei a tomar meu café, logo vi Am descer as escadas e se juntar a nós para o café da manhã, depois de terminar de comer eu senti uma forte vontade de fazer cocô, me esqueci que Am ainda estava na mesa e me agachei ali mesmo e enchi minha fralda, o cheiro era forte e logo foi sentido por minha mãe e Am, minha mãe olhou para mim e disse.


- Que bom que não te troquei logo, senão eu teria que te trocar de novo agora.


Am, riu e perguntou.


- Posso ajudar a troca-lo tia?


- Pode sim Amélia.


Eu não me importaria com nada desde que Am fosse quem estivesse vendo. Mamãe me trocou e me arrumou para a escola, logo era hora de ir, eu não queria ir a aula naquele dia, eu só queria ficar com Am, mas era algo impossível, durante aquele dia eu simplesmente fiquei com meus pensamentos vagando. A aula acabou cedo naquele dia, eu estava tão ansioso para chegar em casa que nem liguei para minha mãe vir me buscar, eu simplesmente peguei minha mochila e comecei a correr como um louco de volta para casa, nem me lembrei de meus amigos naquele dia, na verdade nenhum deles havia vindo falar comigo, mas eu nem mesmo vi eles na escola, teria algo acontecido com eles, eu não sabia, mas descobri na volta para casa quando uma menina me parou e perguntou.


- Ei você, você é o amigo do irmão da Vanessa não é?


- Sim, por quê?


- Aqueles garotos eram seus amigos? Os que estavam usando fralda na festa também.


- Sim.


- E você ainda não foi vê-los?


- Porque está dizendo isso?


- Bem... Porquê....
                                                            

Isso é tudo por hoje, espero que tenham gostado, ainda aguardo contato com vocês fãs, eu gostaria de conhecê-los e poder trocar ideias sobre a continuação desse conto. Em alguns casos eu posso estar até adiantando o Capítulo do dia seguinte adiantado para os amigos que mais forem úteis na criação dos próximos capítulos, por isso não deixem de entrar em contado conosco, continuamos esperando seu contato.

Douglas Chaves- (73)99822-2163- Whatsapp!!