sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Cubot Power!!! Smartphone Poderoso, e meu futuro novo Smartphone!!!

          


          https://br.gearbest.com/cell-phones/pp_1830587.html?wid=1817324&lkid=16927638

Dica:
Desbloqueado para uso em todo o mundo. Por favor, certifique-se de que a rede local é compatível. Clique aqui para Frequência de Rede do seu país. Por favor, verifique com sua operadora / provedor antes de comprar este item.

Descrição:
CUBOT POWER
como um smartphone com display de 5,99 polegadas proporciona uma
experiência visual vívida e diferente. Câmeras duplas, câmera frontal de
8.0MP e câmera traseira de 16.0MP, você pode desfrutar de imagens com
alta resolução. Ele vem com a maioria dos recursos que esperamos de um
phablet, incluindo o armazenamento de 6 GB RAM e 128 GB ROM
equipado com sistema operacional Android 8.1 e bateria de grande
capacidade de 6000mAh para que você possa jogar mais rápido.
Principais características:
CUBOT
POWER 4G Smartphone 5,99 polegadas Android 8.1 MT6763T Octa Núcleo 2.5GHz 6GB RAM 128GB ROM Sensor de Impressão Digital 16.0MP Câmera
Traseira 6000mAh Embutido
● Visor: tela de 21,99 x 1080 pixels de 5,99 polegadas
● CPU: MT6763T (Helio P23) Octa Núcleo de 2,5 GHz
● Sistema: Android 8.1
● Armazenamento: 6 GB RAM + 128 GB ROM
● Câmera: câmera traseira de 16.0MP (SW 20.0MP) + câmera frontal de 8.0MP (SW 13.0MP)
● Sensor: controle do sensor G, sensor de distância, sensor de luz, bússola eletrônica, giroscópio, reconhecimento de impressões digitais
● Cartão SIM: dual Nano-SIM
● Recurso: GPS, AGPS, GLONASS, BDS
● Bluetooth:4.2

Rede:
● 2G: GSM 850/900/1800/1900MHz
● 3G: WCDMA 900/2100MHz
● 4G: FDD-LTE B1/3/7/8 20

Especificação

Especificação Básica
Marcas: CUBOT
Língua: Japonês, Chinês Tradicional / Simplificado, Bahasa Indonésia, Bahasa Melayu, Catala, Cestina, Dansk, Deutsch, Inglês, Espanhol, Filipino, França, Hrvatski, Italiano, Magyar, Nederlands, Polski, Português, Romana, Slovenscina, Suomi, Svenska, Vietnamita Turco, Grego, Búlgaro, Russo, Sérvio, Ucraniano, Hebraico, Árabe, Hindi, Bengali, Hindi, Tailandês, Coreano, etc.
OS: Android 8.1
Provedor de Serviço: Desbloqueado
Slot para Cartão SIM: Dual SIM
Tipo de Cartão SIM: Dual Nano SIM
Tipo: 4G Smartphone
Hardware
CPU: MT6763T (Helio P23)
Cores: 2,5 GHz,Octa Core
Memória Externa: Cartão TF de até 128GB (não incluído)
RAM: 6GB de RAM
ROM: 128 GB
Rede
2G: GSM 1800MHz,GSM 1900MHz,GSM 850MHz,GSM 900MHz
3G: WCDMA B1 2100MHz,WCDMA B8 900MHz
Tipo de Rede: FDD-LTE,WCDMA
WIFI: Internet sem fio 802.11a / b / g / n
Conectividade Sem fio: 3G,4G,Bluetooth,GPS,Wi-fi,GSM,2.4GHz / 5GHz WiFi,A-GPS,Dual Band WiFi
4G LTE: FDD B1 2100MHz,FDD B20 800MHz,FDD B3 1800MHz,FDD B7 2600MHz,FDD B8 900MHz
Monitor
Resolução da Tela: 2160 x 1080
Tamanho de Tela: 5.99 inch
Tipo de Tela: Capacidade,IPS
Câmera
Câmera Traseira: 16MP (SW 20MP)
Funções de Câmera: Beleza facial,Detecção de rosto,Panorama Shot
Tipo de Câmera: Câmeras Duplas (Frontal e Traseira)
Câmera Frontal: 8MP ( SW 13MP )
Formatos de Média
Formato do MS Office: Excel,PPT,Palavra
Formato de Música: MP3,AAC,AMR,MACACO,FLAC,M4A,MKA,WAV
Formato de Vídeo: MP4,3GP,ASF,AVI,FLV,MKV,MOV,RM,RMVB,WMV
Funções Adicionais
Características adicionais: Alarme,Navegador,Calculadora,Calendário,Câmera,E-book,Reconhecimento de impressão digital,Desbloqueio de impressão digital,Sensor de gravidade,Notificação,Detecção de Proximidade
Loja de Aplicativos do Google: sim
Interface I/O: 2 x slot Nano SIM,Porta de saída de áudio de 3,5 mm,Alto falante,Tipo-C
Sensor: Acelerômetro,Sensor de luz ambiente,E-Compass,Sensor geomagnético,Sensor de gravidade,Giroscópio,Sensor de proximidade
Bateria
Capacidade de Bateria (mAh): 6000mAh Embutido
Tipo de Bateria: Bateria Li-ion
Conteúdos do Pacote
Back Case : 1
Celular: 1
Carregador: 1
Agulha SIM: 1
Cabo USB: 1
User Manual: 1
Dimensões e Peso
Tamanho do Pacote: 19,30 x 14,50 x 4,20 cm / 7,6 x 5,71 x 1,65 polegadas
Peso do Pacote: 0,5132 kg
Tamanho do Produto: 15,84 x 7,44 x 1,08 cm / 6,24 x 2,93 x 0,43 polegadas
Peso do Produto: 0,2162 kg

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Aviso!

Sei que não tenho postado, mas isso se dá ao caso de ter que voltar ao trabalho antecipadamente para fazer um trabalho fora do país, espero que compreendam, atualmente estou na França fotografando para uma revista, voltarei a postar quando tiver tempo.
Je sais que je n'ai pas posté, mais c'est le cas de devoir retourner au travail à l'avance pour faire un travail en dehors du pays, j'espère que vous comprenez, je suis actuellement en France en train de photographier pour un magazine, je posterai à nouveau quand j'en aurai le temps.

Até mais.
Encore plus de gens.

terça-feira, 23 de outubro de 2018

Conto de Richard- Infantilist High School- Parte 5- Um Dia De Cão!


Conto de Richard- Infantilist High School- Parte 5- Um Dia De Cão!
Brincamos de várias coisas e conversamos também, quando a aula acabou e eu fui me levantar para sair Claudia segurou a manga da minha blusa e disse.
- Você já vai?
- Sim, a aula acabou.
Sônia interrompeu e disse.
- Ele deve ter coisas para fazer Claudia, não podemos força-lo a ficar conosco.
Eu vi lágrimas se formando no rosto da menina e então eu disse.
- Tudo bem. Eu fico, mas não chore, eu não aguento ver uma menina fofa chorar.
Claudia parou por um momento e me olhando em meus olhos disse.
- Sim, mas é claro. Acho que todos sabem disso. A Sônia é provavelmente a mais forte daqui em termos de proteção, ela é como uma bela amazona protegendo sua rainha.

- Amazona, por acaso eu lhe pareço um ser de guerra?
- Não, não é isso.
- Então o que é?
- Sua beleza vem da força que você tem, e como eu sempre pensei que amazonas fossem lindas e nobres eu fiz essa comparação, mas me desculpe.
Eu vi que Sônia corou na hora e disse.
- Bem, se você acha isso, tudo bem.
- Mas eu sou o pior tipo de pessoa.
Claudia se aproximou de mim e disse.
- Não, você é uma ótima pessoa.
- Vou lhes contar o que me aconteceu.
Eu lhes contei tudo que aconteceu na ilha e do que aconteceu na escola, elas pararam e Sônia disse com um suspiro.
- Você de fato é um idiota, mas é um idiota que faz besteiras tentando não ferir os outros, mas mesmo assim acaba ferindo. Gentileza demais pode machucar muito as pessoas.
- Então o que eu deveria fazer, sair da escola?
Claudia me abraçou e disse.
- Eu não vou deixar, você é meu amigo agora, não vou deixar que vá!
Sônia também disse.
- Também não posso permitir que faça isso, mesmo que apenas um pouco eu gosto de você.
- Que triste para meninas tão bonitas quererem ficar perto de alguém tão fraco e patético.
Sônia então tocou o topo de minha cabeça e disse com um sorriso.
- Mas é um fraco e patético gentil e que se esforça pelos outros.
Depois disso as meninas seguraram cada uma em meus braços, e Sônia disse que seria para evitar que eu fugisse. Fomos até a cidade ao lado da escola, a escola tinha de tudo. Nos divertimos no cinema e no fliperama, mais tarde naquele dia voltamos para a escola e nos despedimos, quando cheguei na porta do meu quarto Ellie parecia irritada, então eu me aproximei e perguntei.
- O que aconteceu Ellie? Você parece irritada.
- E porque será?
- Eu não sei, me diga você.
- O que eu disse hoje no refeitório?
Foi aí que me lembrei que ela me ensinaria auto defesa, eu me ajoelhei aos seus pés e disse.
- Me desculpe, eu me esqueci.
- Se levante, isso é nojento.
- Mas você me perdoa?
- E eu tenho escolha?
- Obrigado.
- Vamos logo tomar banho e nos trocar, vou te ensinar o que der.
- Você é fantástica Ellie, quem sabe eu deva me casar com você.
- No dia em que eu me casar com um pirralho adolescente eu terei decaído muito.
Entramos no quarto e tomamos banho o mais rápido que pudemos, nos arrumamos e fomos para o dojô que havia na escola e começamos a aula, Ellie não teve qualquer piedade comigo, ela me derrubava vez após vez, duas horas depois eu não conseguia mais ficar de pé, então ela disse com um suspiro.
- Você é patético demais, não aguenta nem uma pancadas de leve.
- De leve? Pareciam patadas de urso.
- O que você disse?
- Nada, eu apenas disse que o seu fraco ainda é muito forte para mim.
- Você precisa ser mais forte o mais rápido possível.
- Porque está falando isso?
- Eu pesquisei hoje, essa escola é um caos completo, os mais fortes estão massacrando os fracos e o diretor nem mesmo diz nada, o comitê disciplinar só tem aquela garota irritante e para que não aconteça mais aquilo com suas novas amigas, você deve se tornar mais forte.
Eu me senti motivado por essas palavras e então disse.
- Tud bem, eu quero ficar mais forte logo, venha com tudo.
- É assim que se fala.
Ela então veio do nada e me deu soco na cabeça e eu apaguei. Acordei no outro dia e estava em minha cama usando meu pijama e uma fralda encharcada, ao tocar minha cabeça eu senti uma dor imensa, eu levantei da cama sem fazer barulho e fui até o banheiro e quando eu me olhei no espelho, pude ver a mancha roxa em meu olho, foi aí que entendi o que tinha acontecido, então eu suspirei e pensei que talvez eu não fosse forte o bastante e que jamais ficaria, lágrimas começaram a rolar de meus olhos quando Ellie entrou no banheiro e viu, ela se aproximou e perguntou.
- Está doendo tanto assim? Me desculpe.
- Não, não é isso.
- Então o que foi?
- Eu sou fraco demais, como você disse, eu sou patético.
- Sim, mas você é gentil e tem um instinto de proteger as pessoas, por isso tenho certeza que se tornar[á forte logo.
Isso me animou e eu respondi.
- Obrigado Ellie.
- Sou sua colega de quarto, eu não ficaria em paz com você deprimido.
- Você me deu banho, trocou minhas fraldas e me vestiu?
- Sim, foi um pouco difícil, mas eu dei um jeito.
- Você é incrível mesmo.
- Não, eu não sou.
Após isso eu comecei a tirar a roupa de Ellie e depois sua fralda, ela retirou minhas roupas e fralda também e entramos na banheira, Ellie fez uma coisa terrível comigo, ela se sentou em meu colo dentro da banheira e eu disse.
- O que está fazendo?
- Te alegrando um pouco.
- Não está não.
- Então porque estou sentindo algo passar embaixo de mim?
- Não tem como evitar, eu sou um menino.
- Hum, isso não parece muito confiável. Será que você quer fazer aquilo comigo?
- Claro que não!!!
Ela apenas riu e saiu de cima de mim e disse.
- Você é tão engraçado, gosto de ver essas reações, quem sabe eu não suba na sua cama a noite.
- Durma na sua própria!
- Mas isso me parece bem interessante.
- Não para mim.
- Tudo bem, não precisa ficar tão irritado, estou apenas brincando.
Após isso tivemos de correr e cada um colocou sua própria fralda e nos arrumar, saímos correndo para a sala e eu cheguei somente alguns segundos antes da professora, wu enterrei minha cabeça na cadeira quando de repente...

Isso é tudo por hoje, deixem seus comentários.

Boa Tarde!!!

segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Grupo Para Otakus!!!

Gente, como um otaku fã de lolis e harem eu gostaria de propor uma criação de um grupo que fale apenas em animes e mangás. Não sou muito fã de ler então comigo só falarão de animes, mas se estiverem dispostos a entrar no grupo, eu ficaria bem feliz em conversar.

Deixem sua resposta!!!

Crônica de Fraldas- Parte 14- A Calmaria Depois da Tempestade!!!


Crônica de Fraldas- Parte 14- A Calmaria Depois da Tempestade!!!
De repente senti minha roupa ficar molhada, eu me levantei e chequei se a fralda tinha vazado, mas não era o caso, ao levantar o lençol que cobria a menina eu pude ver a grande mancha molhada, eu rapidamente disse a Sabrina.
- Sabrina, ela fez xixi e molhou o sofá.
- Sério!?
- Sim, o que fazemos?
- Primeiro vamos tirar as roupas molhadas dela e limpa-la com os lenços umedecidos, após isso vou colocar uma fralda nela e colocar ela para dormir lá em cima.
Rapidamente nós pegamos a menina e tiramos suas roupas, ela tinha uma grande cicatriz em sua barriga, algo que me chamou bastante a atenção, mas não tive tempo de ficar olhando isso, eu simplesmente ajudei Sabrina enquanto ela passava os lenços umedecidos na virilha da pequena garota, quando terminou Sabrina pegou a pomada e passou em toda sua virilha e após isso o talco, ela me pediu que levantasse as pernas da menina enquanto ela deslizava a fralda por debaixo, eu o fiz e logo após isso a fralda foi colocada embaixo dela, eu a abaixei sob a fralda e Sabrina então fechou as fitas, a fralda de Camile davam perfeitamente na menina. A menina foi tomada nos braços de Sabrina e então levada para o andar de cima, ficamos apenas eu e Camile sentadas no sofá enquanto aguardávamos apreensivamente todos voltarem, mas felizmente não demorou muito para que voltassem, mas seu semblante dizia tudo e claro o fato também do homem não estar com eles e sua esposa estar chorando muito, eu já sabia o que havia acontecido, mas Camile não tinha se dado conta disso e então perguntou.
- Onde ele está? Cadê o homem que foram buscar?
Henry se abaixou ao seu lado e disse em seu ouvido, mas suficiente alto para que eu também escutasse.
- Infelizmente ele não resistiu e morreu.
Camile começou a chorar e disse.
- Mas a Kelly vai ficar triste agora.
E ela continuou chorando tanto que logo acordou a pequena Kelly, ela desceu as escadas e ao ver todos juntos disse.
- Onde está o papai?
Sua mãe chorando, correu até ela e a abraçou, ela entendeu o que isso significava e as duas logo estavam chorando. O choro delas durou por cerca de uma hora, Camile as acompanhou chorando, mas eu estava em choque e então conseguia nem me mexer direito, o que dirá chorar. Quando elas pararam de chorar, sua mão olhou para ela e ao vê-la apenas em uma fralda perguntou.
- Kelly, porque está usando uma fralda?
- Eu não sei mamãe, quando acordei estava assim.
Sabrina explicou a ela e sua mãe se desculpou e agradeceu. Ao olhar novamente para a fralda, podia se ver outra grande mancha amarela, a menina se molhou outra vez durante o sono. Ao ver isso sua mãe disse.
- Parece que terá que usar fraldas para dormir a partir de agora.
A menina fez uma cara feias e disse.
- Mas eu não sou um bebê.
- Sei disso filhinha, mas você precisa,
Antes que mais alguma coisa fosse dita, Camile chegou perto e disse.
- Usar fraldas não é ruim Kelly, veja. Eu também uso e o tempo todo.
Disse ela levantado seu vestido e mostrando sua fralda, tanto a mulher como sua filha se surpreenderam, e a menina perguntou.
- Porque está de fralda? Você molha a cama também?
- Algo do tipo, digamos que tenha alguns acidentes durante o dia também.
- Uau! Disse a menina com os olhos brilhando.
Sua mãe apenas riu e disse.
- Viu, não parece tão ruim, certo?
- Sim, eu quero usar fraldas!
Após isso todos fomos dormir, a menina estava agora afeiçoada a Camile e dormiu na mesma cama que ela, Camile trocou sua fralda molhada antes e então as duas caíram em sono profundo, já eu dormi sozinha. Me senti abandonada, e não percebi que as lágrimas começaram a correr de meus olhos, mas Sabrina ouviu e se levantou e veio até minha cama e se aproximou enquanto ligava o abajur e perguntou baixinho em meu ouvido.
- Qual o problema, se sente mal?
- Não é isso.
- Então o que é?
- Apenas estou me sentindo sozinha.
- Você é tão fofa, vou me deitar aqui então.
Ela de deitou ao meu lado e disse.
- Se vire para o outro lado.
- Porquê?
- Apenas faça o que digo.
Eu me virei e ela passou seus braços sob minha cintura e então começou a acariciar minha cabeça, logo eu me sentia bem, o suficiente para adormecer. Acordei no outro dia com Sabrina puxando minhas cobertas e dizendo.
- Levante logo, precisamos nos arrumar para correr.
- - Correr? Do que está falando?
- Estamos aqui para treinar, lembra?
- Sim, me desculpe.
Eu pulei da cama e corri para o banheiro, quando eu ia começar a tirar minhas roupas Sabrina disse.
- Espere.
- O que foi?
- Eu vou fazer isso.
- Como assim?
- Eu vou te dar banho e te trocar.
- Mas seria mais rápido se eu fizesse isso.
- Nada disso, venha logo aqui e me deixe tirar suas roupas e sua fralda.
Eu me aproximei e ela começou a tirar minhas roupas, após isso ela rasgou as fitas da fralda e a enrolando lançou na lata de lixo. Ela me deu um bom banho dos pés à cabeça e então quando terminou me enrolou em uma toalha e me carregou até a cama, eu não havia percebido, mas Kelly havia acordado e estava assistindo tudo.
Sabrina me colocou na cama e retirou minha toalha, foi até a cômoda e pegou a uma a pomada o talco e outra fralda, ela as colocou ao meu lado na cama e então pegou um pouco de pomada em seus dedos e levantou as minhas pernas, ela então começou a passar em toda a minha virilha, quando terminou foi a vez do talco, ela foi rápida mas precisa, após isso foi a vez da fralda, ela deslizou ela por debaixo de mim e me abaixou em cima dela e então fechou as fitas, depois ela pegou minha roupa de corrida e me vestiu, a roupa apertada dava um grande contrate coma fralda, era visivelmente claro para quem quisesse ver que eu estava usando uma fralda. Após isso nós descemos as escadas e então Vlad disse quando nos viu.
- Porque demoraram tanto?
Sabrina então respondeu.
- Eu tinha que dar banho e trocar a fralda dela.
- Verdade, eu havia me esquecido, mas não dava para ter sido mais rápida?
- Mas é claro que não.
Henry interrompeu e disse.
- Parem de discutir e apenas vamos embora.
Depois disso as discussões pararam e me foi explicado o percurso e então começamos a correr, era uma área muito bonita, o sol ainda estava nascendo e eu observava a lateral quando de repente...

Isso é tudo por hoje, espero que tenham gostado, deixem seus comentários.
Bom Dia!!!

domingo, 21 de outubro de 2018

Conto do Ricardo-parte 1

Conto do Ricardo-parte 1


Ola eu chamo-me Ricardo e tenho 15 anos mas não sou muito grande para a minha idade.

Eu moro com o meu pai,a minha mãe e a minha irmã Joana de 6anos.

Tudo começou um dia em que minha irmã fez xixi na cama.

Joana-Bua bua. Mãmem fiz xixi na cama!

Sónia-Não te preocupes minha querida isso acontece!

Mas dias depois nada melhorou ela continuou a fazer xixi.

O maior problema foi um dia a noite bebi muito sumo e acabei por fazer xixi na cama também. E a maior coincidência foi que minha irma tinha feito também.

E então minha mãe me levou a mim e a minha irma para nos lavar. Quando acabou disse:

Sónia-Ide os dois para o meu quarto que eu já la vou ter.

Nos assim fizemos.

Pouco tempo depois ela chega com 2 fraldas e coisas de troca, e então eu perguntei:

Ricardo-Mãe para quem são essas fraldas?

Sónia-São para vocês meus bebezinhos!


Joana-Eu não vou usar isso eu não sou bebé!

Ricardo-Eu também não!

Sónia-Chega de discussão vocês vão usar e já ta decidido!
Entretanto o meu pai chega do trabalhoe diz.

Jorge:Olá...Mas o que se passa aqui?

Sónia:Os meninos fizeram xixi na cama e agora vão usar ambos fraldas.

Ricardo:Eu não quero usar fraldas!!

Jorge:Sónia vai para o quarto da Joana meter a fralda a ela que eu trato do Ricardo.

Sónia:Ok

Quando a minha mãe sai eu disse para meu pai:

Ricardo:Pai não vais meter me a fralda pois não?

Jorge:Ricardo ouve eu não ia meter te em fraldas ,mas como a tua irma vai usar tu vais usar também para ela não se sentir sozinha.

Ricardo:Ahh...Ok. Mas não vou ir com elas para a escola!?

Jorge:Vais sim!

Eu lá aceitei e meu pai começou a me colocar a fralda.

Quando ele acabou eu foi dormir de fraldas.
Quando acordei ouvi minha mãe a chamar me a mim e a minha irmã.

Sónia:Meninos venham para baixo para tomar o pequeno almoço.

Felizmente era sábado logo não tinha escola.

Quando cheguei a mesa minha mãe nos perguntou:

Sónia:Meninos estão com as fraldas molhadas?

Joana:Sim.

Eu estava confiante que não estava molhado mas qundo baixei as minhas calças reparei uma enorme mancha amarela e disse com um pouco de vergonha:

Ricardo:Ahh...Sim.

Ai minha mãe trocou-nos e fomos comer.

Depois de comer minha mãe disse:

Sónia:Meninos nos vamos sair mas vocês vao ficar aqui.

Quando a minha mae disse isso pensei que ia poder tirar a fralda.Mas logo ela diz:

Sónia:não se preocupem meu bebés eu contratei uma bebysiter.

Ai meu coração congelou.

Logo a seguir ouço a capainha a tocar.

Quando minha mãe abre a porta vejo Vera uma rapariga da minha turma que eu gostava muito.

Vera:Ola meninos,eu chamo-me Vera e vou tomas conta de vocês.

Ai congelei ainda mais.

Depois nossos pais sairam.

Vera:Os vossos pais disseram-me que ussam fraldas ,por isso qundo precisarem de uma troca digam.

Ai ela olhou para mim e disse:

Vera:Olá Ricardo estas a gostar de usar fraldas?

Ricardo:Não. E Vera por favor dixa-me tirar a fralda!

Vera:Não posso te deixar tirar as fraldas e também não vais usar a casa de banho ordens dos teus pais!

Ricardo:Ok mas promete me só que não vais contar nada a ninguem la na escola!

Vera:Não te preocupes.


Por hoje ê tudo!
Mas o que sera que os pais do Ricardo forar comprar?
Esperem para saber!!

sábado, 20 de outubro de 2018

Conto de Richard- Infantilist High School- Parte 4- Tudo Bagunçado!


Conto de Richard- Infantilist High School- Parte 4- Tudo Bagunçado!
De repente eu fui abraçado por trás e ao me virar eu pude ver Roberta, eu fiquei muito surpreso e logo disse.
- Roberta, mas o que faz aqui?
- Não está feliz em me ver?
- Sim, mas como você veio para cá?
- Longa história, se quiser podemos nos sentar ali naquele banco e conversamos um pouco.
Bianca logo entrou na frente e disse.
- Nada disso, ele não vai.
Roberta olhou para a menina e disse irritada.
- E quem você acha que é Bianca? A namorada dele?
- Isso mesmo, eu o Rick estamos namorando.
Roberta olhou para minha cara e disse.
- Isso é verdade Richard?
- Sim.
- Seu traidor, você nem me esperou!
- Não Roberta, eu pensei que nunca mais a veria.
- Isso não é motivo para namorar a Bianca!
- Sei disso. Bianca, desculpe... mas não podemos namorar.
Isso foi mortal para Bianca que explodiu em lágrimas e saiu correndo. Roberta veio até mim e me deu um tapa no rosto e disse.
- Você é o pior.
E saiu dali também muito irritada, quando olhei para Ellie, ela estava com a mão na testa acenando com um não e olhar de reprovação, então eu perguntei.
- Porque elas ficaram tão irritadas Ellie?
- Porque você é um idiota Richard.
A professora se aproximou e disse.
- Não deveria ter feito isso.
- Mas pessoal, eu só tentei não trazer mais conflito
para as meninas.
- Richard, você já havia aceitado a Bianca como namorada, voltar atrás assim por causa de outra menina é como se tivesse dado uma pedrada nela, e Roberta se sentiu muito pior, porque em vez de você fazer ela se sentir especial, apenas a fez sentir que você não ama ninguém e mudaria sua opinião em relação a qualquer uma delas com qualquer palavra que alguém dissesse, creio que levará algum tempo para que elas o perdoem.
Ellie interrompeu e disse.
- Isso se elas o perdoarem, você não merece perdão depois dessa.
- Você também está com raiva de mim Ellie?
- Como eu não ficaria, você fez aquelas meninas sofrerem num ritmo descompassado e dose dupla, o que quer que eu diga? Que está tudo bem? E eu te apoio? Desculpe, mas não vai rolar.
Quando eu percebi o que tinha feito, eu abaixei minha cabeça e disse.
- Me desculpem.
A professora então disse.
- Não é para nós a quem você deve desculpas.
Eu acompanhei Ellie e a professora e entramos no refeitório, eu peguei uma sopa e me sentei na mesa, eu fui o primeiro que terminou, mas fiquei na mesa sentado. Ao todos terminarem Ellie me disse.
- Richard, poderia ir para outro lugar? Eu realmente não consigo ficar olhando para você agora.
- Tudo bem.
Eu abaixei minha cabeça e saí, decidi encontrar Sabrina. Ela saberia um jeito de resolver tudo, eu procurei em todos os lugares, mas eu a vi Michael e ela se beijando, eu me escondi rapidamente e não estava triste ou irritado, estava muito feliz, afinal ele era meu melhor amigo e merecia um final feliz. Eu saí dali com um sorriso no rosto e quase saltitando de alegria, eu também sabia que seria menos uma relação confusa para lidar. Após isso eu decidi apenas voltar para meu quarto e arrumar as coisas para o dia seguinte, eu sabia que uma hora ou outra as meninas me perdoariam então simplesmente deixei como estava, enquanto voltava para meu quarto eu me encontrei com o diretor e contei a ele o que me havia acontecido, ele riu e disse.
- Não se preocupe com isso. Você pode não se dar conta, mas é muito popular com as meninas, eu aposto que amanhã todas as meninas de sua sala virão até você sem que você sequer tenha que se levantar, principalmente a sua classe.
- Como assim?
- Sua classe só tem você de menino.
- O quê!? Porque?
- O índice de passagem de meninos é de 1 para cada 50 que tentam.
- O quê? Porquê?
- Meninos tendem a ser maus por natureza, já as meninas mantêm uma maior taxa de pureza por muito mais tempo, no seu caso é totalmente diferente de qualquer menino que já tenha entrado nessa escola.
- Do que está falando?
- Você é filho de um dos fundadores dessa escola Richard, e você tem as mesmas qualidades de seu pai.
- Espere, está dizendo que não é uma coincidência eu estar aqui.
- No momento, sim. O que o trouxe aqui foi coincidência, mas eu diria que isso foi destino.
- Me explique melhor isso, eu não entendo ainda o que quer dizer.
- Uma outra hora meu garoto, suas aulas começam amanhã e você precisa descansar.
- Mas não irá me contar sobre meu pai.
- Uma outra hora.
Disse ele enquanto me entregava uma folha com meus horários de aula e virando as costas apenas acenou com a mão enquanto ia embora.
Agora eu estava muito curioso, meu pai esteve aqui e ajudou a fundar essa escola, e eu decidi que eu com toda certeza descobriria mais sobre ele e como estava envolvido com o infantilismo.
Eu fui para meu quarto e preparei todo o material que já havia sido deixado em nosso quarto para o dia seguinte, percebi que estava molhado, por isso eu tirei minha fralda e entrei no chuveiro, após o banho eu coloquei uma nova fralda em mim e vesti meu pijama, eu estava tão cansado que dormi rapidamente, no outro dia pela manhã eu senti alguém me balançando e ao olhar para o lado, pude ver Ellie me balançando e disse.
- Levante-se logo ou vai se atrasar.
Eu olhei no relógio e ainda faltava uma hora para o início das aulas, mas mesmo assim eu me levantei e Ellie parecia um pouco inquieta e sem jeito, percebendo isso, eu perguntei.
- O que foi Ellie?
- É que... bem... eu fiz cocô e preciso de uma troca.
- Tudo bem, já vamos tomar banho mesmo, apenas venha comigo.
Eu a tomei pela mão e conduzi para o banheiro, chegando lá eu tirei os pijamas dela e os meus e depois de retirar a minha fralda fui retirar a dela, quando eu abri a fralda dela o cheiro foi tão forte que eu quase caí. Ela percebeu minha surpresa e disse totalmente sem graça e lágrimas nos olhos.
- Me desculpe.
- Para uma mulher adulta você está totalmente infantil.
- Isso não caso de ser infantil, eu continuo sendo uma garota, e garotas tem vergonha de coisas assim.
- Sério, garotas normais sim, mas você é bem mais especial que qualquer outra, por isso estou surpreso.
- Especial?
Disse ela corando um pouco, sem entender porque eu respondi.
- Sim, você é fofa, inteligente, forte e muito boa em sair de situações complicadas, e ainda tem mais experiência que qualquer menina que eu conheça, se você é normal eu sou um nada.
- Você é de fato muito gentil, mas o que fez na noite passada não deve ser repetido, aquilo foi cruel.
- Desculpe, eu não queria que nenhuma delas ficasse triste.
- Infelizmente é assim que você é, é gentil demais e isso pode ferir muito as pessoas ao seu redor, ainda mais essas meninas que parecem ser loucas por você, mas creio que a partir de agora não será mais assim.
- Do que está falando?
- Elas provavelmente vão mudar totalmente com você.
- Mudar como?
- Você faz muitas perguntas, deve descobrir essas respostas por conta própria.
Após isso eu peguei os lenços umedecidos em cima da pia do banheiro e limpei Ellie, depois disso entramos na banheira e tomamos um bom banho, dessa vez eu não estava nervoso em ver Ellie nua, aquilo só me parecia normal agora. Após o banho nos arrumamos e então fomos a cafeteria tomar o café da manhã, foi um belo misto com uma mamadeira de suco. Depois de escovar os dentes após o café, nos despedimos e cada um foi para sua sala. Eu me sentei em minha cadeira e logo a sala estava completa, realmente só havia meninas em minha classe e eu não conhecia ninguém, eu podia ouvir as meninas falando baixinho enquanto olhavam para mim, eu fiquei totalmente sem jeito, quando a professora entrou na sala, percebi quem era, Tia Meggy. Ao me ver ela acenou e disse.
- Bom dia Rick, dormiu bem?
Eu respondi que sim totalmente envergonhado, então ela começou a fazer todos se apresentarem. Quando tudo terminou ela disse o dia inteiro ia ser de brincadeiras para que pudéssemos nos conhecer.
- Agora façam grupos de 3 pessoas e vamos brincar.
Eu fiquei sentado em minha cadeira, logo todas as meninas da sala vieram em cima de mim e eu não sabia o que fazer, uma enxurrada de perguntas me foram feitas, então uma das meninas fez a seguinte pergunta.
- Richard, você tem namorada?
- Não, ainda não. E não sei as meninas aqui vão querer algo comigo.
- Está brincando? Você é fofo, lindo e o presidente do conselho estudantil. Quem seria burra o bastante de deixar um menino com essas qualidades passar em branco.
- Se quiser começamos a namorar agora.
Então eu ouvi outra voz dizer.
- Isso não é justo, não monopolize ele, ele pertence a toda classe.
- Isso mesmo, todas podemos beija-lo abraça-lo e cuidar dele.
Uma confusão se estabeleceu na sala, eu estava perdido no meio daquilo tudo, mas logo a professora colocou todas em seus lugares e separou os grupos, acho que ela fez de propósito, me colocou num grupo onde as duas meninas nele me odiavam claramente, uma se chamava Sônia, e a outra Claudia. Elas conversavam entre si, mas nem olhavam para mim, aquela situação foi bem difícil, foi então que tomei coragem e disse.
- Meninas, vocês tem algo contra mim?
Sônia que tinha cabelos negros e olhos castanhos logo respondeu.
- Não se preocupe, não temos nada contra você. Só não gostamos de meninos.
- Porque?
- No ano passado a Claudia teve um parceiro homem com ela, ele a estuprou enquanto a trocava.
Eu fiquei assustado com aquilo, mas senti que deveria me desculpar em nome de todos os meninos, então eu me ajoelhei e me curvei diante delas e disse.
- Se for para vocês me aceitarem, eu não ligo nem um pouco que batam em mim e descontem suas raivas, então vão em frente e me batam  quanto quiserem.
Sônia então disse.
- Pare com isso, você não nos fez nada. Como podemos bater em você.
Eu não aguentei e comecei a chorar, e disse.
- É que é muito triste para mim ouvir uma história assim, me dói o coração.
Sônia só olhou e disse.
- Pare já com isso, não temos nada contra você em particular.
Depois disso elas foram um pouco mais agradáveis comigo e até me disseram algumas palavras, durante o recreio tia Meggy nos falou para mantermos os grupos, nós lanchamos e mais uma vez as meninas apenas me ignoraram, quando estávamos saindo da mesa, Sônia esbarrou num cara grande e alto que disse.
- Sua pirralha idiota, olhe para onde anda!
Claudia se irritou e disse.
- Ela não fez por mal seu idiota!
O cara levantou a mão e fez um soco, ele iria acerta-la, então eu pulei na frente e levei o soco que me lançou contra a cadeira e eu bati minha cabeça e sangue começou a escorrer, foi um pequeno corte apenas, ao olhar para mim e perceber quem eu era, ele disse.
- Espere, você é o presidente do conselho, mas que fraco você é.
- Sim, eu sou fraco. Mas não suporto covardes quem batem em meninas indefesas.
- Seu desgraçado, vou te bater até que você me implore para parar, ele foi para me dar outro soco quando de repente Ellie apareceu na frente e segurou o soco do cara, ela apertou sua mão e de dor ele se curvou e disse.
- Que força monstruosa é essa?
Ellie então disse com um sorriso maléfico em seus lábios.
- Eu sou a presidente do conselho estudantil também.
Ao perceber que perderia ele pediu desculpas a mim e as meninas e também a Ellie, mas antes que ele fosse embora Ellie lhe disse.
- O conselho não permitirá atos assim, da próxima vez que ferir alguém vai pagar, e ainda mais se for alguém próximo a mim, eu vou te fazer ver o inferno.
O cara saiu correndo em desespero, Ellie se aproximou e puxando meu cabelo um pouco disse.
- Precisamos te levar para a enfermaria, você levou um corte na cabeça.
- Obrigado Ellie.
- Não me agradeça, depois das aulas eu vou te ensinar a como se defender pelo menos.
- Obrigado.
Ela suspirou e pediu para que eu me apoiasse nela, eu o fiz e ela me levou para a enfermaria, quando chaguei lá tia Meggy nos aguardava. Ao me ver ela disse.
- Você mal começou o dia e já arruma uma briga?
- Eu tinha que defender as meninas.
- Eu sei, estou brincando. Agora vamos limpar isso e colocar um curativo.
Depois disso ela me disse que eu escolhia se voltava para sala ou ia para o dormitório descansar, eu preferi voltar para classe, eu me sentei com as meninas novamente e Sônia disse.
- Você não precisava se envolver, eu não preciso que nos proteja.
- Desculpe, eu não pude aguentar ver ele te bater.
- Mesmo que eu não tenha pedido. Obrigada.
Claudia saiu de seu lugar e perguntou.
- Está doendo?
- Sim, mas não preocupe, logo estarei bem.
Ela sorriu para mim e então continuamos abrincar.

Isso é tudo por hoje, espero que tenham gostado. Deixem seus comentários.
Boa Tarde!!!

sexta-feira, 19 de outubro de 2018

Crônica de Fraldas- Parte 13- Tempestade No Lago!


Crônica de Fraldas- Parte 13- Tempestade No Lago!
Tia Dorothy era uma mulher muito alegre e falante, ela conversou com Camile o tempo todo até a casa do lago, apenas elas duas falavam a viagem toda, eu tinha que responder uma coisa ou outra por que Camile sempre falava algo e pedia que eu confirmasse, mas o que me deixou chocada foi quando Camile ´perguntou.
- Tia Dorothy, você irá cuidar de nós em tudo que precisarmos, não é?
- Sim querida.
- Também vai trocar nossas fraldas e preparar minha mamadeira?
Quando ela disse mamadeira eu cheguei engasgar e olhei para ela e perguntei no susto.
- Camile, você toma mamadeira?
- Sim, eu amo tomar uma boa mamadeira pela manhã e antes de dormir.
Eu estava tão surpresa, mas o resto do clube e Tia Dorothy pareciam achar isso muito fofo, eu estava um pouco perdida com isso tudo, mas preferi me calar, mas em seguida veio uma pergunta que me deixou muito envergonhada.
- Vocês precisam trocar a fralda?
Eu engasguei novamente, mas Camile respondeu.
- Não titia, eu só estou um pouco molhada.
- Sim, que bom meu amor. E você Silvie?
- Obrigado tia, mas estou bem.
Eu realmente teria que ser trocada por pela mão do meu presidente de clube, isso era completamente anormal para mim, então eu tive que dizer.
- A senhora não precisa se incomodar de trocar as minhas fraldas tia Dorothy, eu posso fazer isso sozinha.
- Sei disso meu bem, mas sua mãe deixou bem claro que ou eu ou a Sabrina trocaríamos asa fraldas de vocês.
- Espere! A Sabrina também?
Sabrina então abriu um grande sorriso e disse.
- Sim, eu pedi a sua mãe para me deixar fazer isso também.
- E porque fez isso?
- Porque eu te acho fofa e quando te vi de fralda quis cuidar de você, mas parece que você não quer que eu cuide de você.
Disse ela virando o rosto para a janela e mostrando uma cara de chateada. Ao ver aquilo eu disse.
- Não! Não é que eu não queira que você cuide de mim, eu apenas tenho vergonha.
Ela se alegrou e se virando para mim me abraçou e disse.
- Não se preocupe com isso, eu serei muito gentil.
- Tudo bem, mas não reclame depois.
- Eu não vou.
De repente o carro parou e tia Dorothy disse.
- Chegamos crianças, podem descer.
Henry pareceu incomodado com a frase de sua mãe e disse.
- Mãe, quantas vezes eu vou te dizer que eu não sou mais criança?
- Para mim você sempre será a minha criança.
Todos rimos quando ele ficou vermelho de vergonha. Logo todos saíram do carro e tia Dorothy nos levou para o quarto que seria meu de Camile e Sabrina e disse.
- Podem colocar suas roupas na cômoda, ela está vazia.
Sabrina a agradeceu e então ela saiu dizendo que iria providenciar cuidar do jantar. Depois de arrumar minhas coisas na cômoda eu me deitei na cama e comecei a sentir meu estômago embrulhar, eu sabia com toda certeza o que isso significava, mas eu decidi que tentaria segurar o máximo possível para não fazer cocô na frente de todos, eu aproveitaria uma hora em que todos estivessem distraídos para poder fazer e pedir uma troca a tia Dorothy. Sabrina e Camile terminaram log depois de mim e se deitaram a meu lado, Sabrina então perguntou.
- A fralda de vocês está muito molhada?
Camile teve um olhar interrogativo em seu rosto, então ela levantou seu vestido e abaixou sua calcinha para conferir que sua fralda já tinha uma quantidade considerável de xixi, então ao ver aquilo Sabrina disse.
- Parece que terei de trocar a sua fralda Camile, onde estão suas coisas?
- Eu as coloquei em cima da cômoda.
- Boa menina, poderia pega-las para mim?
- Claro Sabrina!
- Mas que menina educada e boa, você é tão fofa.
Ao olhar aquilo eu também não poderia negar que Sabrina realmente gostava do que estava fazendo, quando Camile trouxe as coisas e colocou em cima da cama, ela se deitou logo na cama e Sabrina levantou seu vestido e deslizou sua calcinha por entre suas pernas, depois ela rasgou as fitas da fralda e fez algo que já tinha visto, mas apenas com bebês, ela segurou as pernas de Camile no ar, retirou a fralda molhada de debaixo dela e daquele mesmo modo com Camile suspensa, limpou a virilha e o bumbum de Camile, habilmente desdobrou a fralda limpa com uma mão e deslizou por debaixo de Camile, após isso ela desceu Camile sob a fralda e passou a pomada gentilmente enquanto cantarolava uma canção muito relaxante, ela procedeu da mesma forma enquanto passava o talco e depois fechou as fitas da fralda e dando um tapa no bumbum de fralda de Camile disse.
- Prontinho, pode vestir sua calcinha por cima da fralda.
- Eu não quero, ela me aperta um pouco.
- Mas se ficar sem ela, os meninos vão ver sua fralda.
- Sei disso, mas não me importo.
- Mas que bebê fofa você é, posso receber um beijo de agradecimento.
- Claro!
Camile então foi até Sabrina que a segurou em seus braços e a menina lhe deu um beijo na bochecha, ela riu e disse.
- Você é tão fofa que eu vou... Te morder.
- Ela começou a dar mordidinhas em Camile que começou a rir como uma louca que não conseguia parar. Quando finalmente as duas pararam Sabrina veio até mim e sem aviso prévio levantou meu vestido e puxou a calcinha para baixo, eu me assustei e disse.
- O que está fazendo!?
- Verificando você, tenho certeza que é teimosa igual a minha irmãzinha e não admite quando está molhada.
- Não se preocupe com isso, se eu precisar eu aviso.
Disse eu fazendo um bico e virando meu rosto, mas ao ver isso ela disse.
- Por favor não fique com raiva de mim, eu gosto muito de você.
- Então não faça mais isso.
- Tudo bem, prometo que não vou fazer.
- Tudo bem então, eu te desculpo.
- Que bom, eu fiquei preocupada que você começasse a me odiar.
- Eu jamais faria isso, você é muito legal e bonita e talentosa.
Ela ficou sem palavras depois do que eu disse, então eu fiquei sem graça e disse.
- Desculpe, falei algo errado?
- Não, eu estou muito feliz que pense assim.
Após isso tia Dorothy veio até o quarto e disse.
- O jantar está pronto, podem descer.
Rapidamente nos levantamos e descemos para cozinha quando de repente a luz foi embora. Felizmente tinham velas na casa, tia Dorothy acendeu algumas e nos sentamos para comer, foi então que Vlad disse.
- Estamos parecendo nobres antigos.
Henry perguntou confuso.
- Do que estás falando Vlad?
- Sabe, comer um jantar gostoso numa casa chique, é como nos tempos da monarquia.
Todos rimos disso e depois começamos a comer o balo risoto que nos foi preparado, estava muito gostoso, tanto que comi mais do que devia, depois do jantar Henry disse.
- O plano era assistirmos filmes de terror hoje à noite, mas como não teremos como. Que tal contarmos histórias de terror?
Vlad então disse.
- Sim, isso é bom.
Sabrina retrucou.
- Porque vocês meninos só pensam em coisas que dão medo?
Camile que estava sentada a meu lado me agarrou pela manga do vestido e disse.
- Eu tenho medo.
Eu olhei para ela e respondi.
- Não se preocupe com nada, estou aqui com você.
Ela sorriu para mim e então fomos todos para o sofá, nos sentamos e os meninos começaram a contar histórias de terror, durante todo o tempo eu estava muito bem, mas quando Vlad contou a sua história, confesso que comecei a ficar com medo, minha vontade de fazer cocô também estava começando a ficar tão intensa a ponto de tremer, a história teve um ápice e de repente a luz voltou e um relâmpago rasgou o céu seguido de um grande trovão, isso me fez perder o controle e não consegui segurar, minha fralda foi preenchida tão rapidamente e o susto tinha sido tão grande que eu só percebi o que tinha acontecido quando o cheiro atingiu o nariz de todos. Eles pararam e olharam para Alice que balançou a cabeça negativamente, logo todos os olhares estavam em mim, eu não aguentei ser olhada daquele jeito e comecei a chorar e a pedir desculpa, Sabrina se aproximou de mim e colocou minha cabeça recostada sob seu peito enquanto dizia.
- Calma, tudo vai fica bem.
Ela então se levantou e me tomou em seus braços e me levou para o banheiro no andar de cima, ela simplesmente não disse nada, apenas me colocou no chão e tirou meu vestido, cuidadosamente removeu as fitas da fralda e com a parte limpa da fralda ela limpou boa parte da sujeira e então foi até o quarto onde pegou lenços umedecidos, terminou de me limpar e então me colocou dentro da banheira e também retirou suas roupas e entrou junto comigo, ela me deu um belo banho e quando terminamos ela me enxugou dos pés à cabeça e segurando a minha mão me conduziu até o quarto, me deitou sob a cama e então passou a pomada o talco e então me colocou em outra fralda limpa, após isso ela pegou meu pijama na gaveta onde estavam minhas roupas e me vestiu, com o meu pijama as fraldas eram totalmente visíveis, ela penteou meu cabelo e passou um pouco da água de colônia mamãe e bebê da Natura que minha mãe havia mandado junto com minhas coisas. Ela me deu um cheiro e disse.
- Vamos.
Eu estava muito curiosa como Sabrina era tão hábil com tudo aquilo, então eu perguntei.
- Sabrina, como você pode ser tão boa em trocar fraldas?
- Bem, minha mãe morreu quando deu à minha irmãzinha, por isso eu cuido dela desde que era um bebê, como minha irmã tem certos problemas como você, ela usa todos os dias e o dia todo, eu sempre cuidei dela, por isso eu sei como fazer isso muito bem.
Eu vi lágrimas em seus olhos quando me disse isso, eu me joguei sob ela e disse.
- Não chore, eu te amo. Você é muito especial para mim.
- Obrigado, você também é muito especial para mim.
Nós nos abraçamos por um momento e logo Camile chegou a porta e ao ver aquilo disse.
- Você não pode Sabrina, a Silvie é minha.
Eu e Sabrina não aguentamos o quão fofo era o ciúme de Camile e começamos a rir. Foi aí que Camile chegou perto de mim e me abraçou e disse.
- Eu não vou dar ela para ninguém!
Sabrina riu e disse.
- Então quer dizer que você vai casar com ela também?
O rosto da menina ficou vermelho de vergonha e disse.
- Sim, eu vou casar com ela!
Foi aí que eu e Sabrina rimos ainda mais, ela era tão fofa que dava vontade de morder. Depois disso descemos novamente e a luz voltou, fomos todos jogar alguns jogos quando de repente a chuva forte começou fora da casa, e enquanto os barulhos de trovão eram ensurdecedores a energia foi embora novamente e nós vimos uma luz fora da casa, de repente ouvimos alguém bater a porta, ficamos todos com medo, e Sabrina disse.
- Vá ver quem é Henry.
- Porque eu? Vá você.
- A casa é sua, você tem que ir.
- Então eu serei a isca enquanto todos correm? Nem pensar.
- Alguém precisa ir lá.
Foi então que eu ouvi um choro de criança e me levantei e abri a porta, era uma mulher com uma menina de uns 6 anos, ela então disse.
- Eu sou a Mary, vizinha da Dorothy. Ela está em casa?
 Eu então chamei Henry e ele disse para a mulher e a criança entrarem, logo tia Dorothy chegou e a mulher se sentou na mesa. Após isso tia Dorothy perguntou.
- O que a fez sair de casa nessa tempestade Mary?
- Foi o Jorge, uma árvore caiu em nossa sala e ficou em cima da perna dele, eu preciso de ajuda.
- Já ligou para a ambulância?
- Não adianta, os telefones e os celulares não funcionam.
Todos pegamos os nossos e vimos que era verdade, não havia qualquer sinal de rede.
- Precisamos tira-lo de lá logo, me ajude Dorothy.
- Claro que irei, Henry e Vlad venham comigo e com Mary, Sabrina, pode cuidar da pequena Kelly por um momento?
- Claro que sim, venha por aqui pequena.
Sabrina levou a menina até o sofá e pediu que ela esperasse e logo desceu com uma toalha e a enxugou. Elas se sentaram no sofá e Sabrina confortava a criança chorosa, eu estava tão perdida que nem sabia para onde ir. Decidi que ajudaria no resgate também, e disse.
- Eu vou com vocês.
Tia Dorothy logo disse.
- Nada disso, não posso arriscar crianças. Vocês fiquem aqui.
- Basicamente eu sou inútil.
- Você pode ajudar a Sabrina, creio que a pequena Kelly gostará de crianças por perto, olhe a Camile já está conversando com ela.
Após isso eles se foram, eu me sentei no sofá e a pequena menina continuava a chorar, eu me aproximei dela, me abaixei e fiquei de joelhos e lhe dei um grande abraço, a tomei em meus braços e cantei uma canção enquanto a ninava e dizia que tudo iria ficar bem, logo a menina havia caído em sono profundo, quando ela adormeceu, deitamos ela no sofá e a cobrimos com uma coberta. Minutos se passaram quando de repente...
Isso é tudo por hoje, espero que tenham gostado.
Boa Tarde!!!